Vídeos

Loading...

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Álcool, não entre nessa






           Por isso que sempre digo, o exemplo é nosso melhor professor. Já ouvi relatos de pais se lamentando por terem problemas com vícios dos filhos, mas muitos possuiam produtos alcoólicos em seus lares.  O consumo de álcool é um problema mundial e está entre os campeões da causa de mortes de jovens e adolescentes. Para você que pensa na vida e quer viver mais e feliz, evite seu consumo. Não caia em modismos da mídia que sempre escondem a verdadeira realidade dos problemas do álcool, nem se deixe influenciar por músicas com melodias suaves e com ritmos alegres, no final a dor só você irá sentir. Pense nisso (Prof. Marcelo) 

“Como o álcool geralmente é tolerado dentro de casa, a família não se importa muito se o adolescente começa a beber desde cedo”,
 
Mas o que parece apenas um motivo de integração e descontração pode ser um problema sério. Segundo Fernanda Vidal, psicóloga do Núcleo Einstein Álcool e Drogas (NEAD) do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE), o álcool é um dos grandes causadores de dependência entre os jovens e o segundo principal problema de saúde pública no Brasil, perdendo somente para o tabaco. E o consumo começa cada vez mais cedo. Uma pesquisa do Centro Brasileiro sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid), da Unifesp, revela que 42% das crianças entre 10 e 12 anos já experimentaram algum tipo de álcool.

Assim, a visão da bebida alcoólica como droga merece maior atenção. De acordo com a psicóloga do Einstein, o uso abusivo do álcool pode passar despercebido pelos pais, pois estes, de modo geral, costumam se preocupar mais com as drogas ilícitas, ou seja, proibidas por lei, como maconha, cocaína, crack e heroína.  

A Pesquisa Nacional de Saúde Escolar (Pense), divulgada em 2009 pelo IBGE, aponta alto consumo entre os jovens. Do total dos adolescentes entrevistados, 71,4% já haviam experimentado bebidas alcoólicas. Além disso, um em cada cinco jovens se embriagara pelo menos uma vez.

Para Fernanda Vidal, a competitividade entre os adolescentes para descobrir quem bebe mais contribui para essas estatísticas. “É típico do adolescente querer testar seus limites. Muitas vezes, porém, ele se coloca em situações de risco em função dessa vontade de querer experimentar novas sensações”, diz.

Como o álcool geralmente é tolerado dentro de casa, a família não se importa muito se o adolescente começa a beber desde cedo

De acordo com a equipe de psiquiatras do NEAD, o consumo de cinco ou mais unidades de álcool por ocasião, conhecido como binge drinking, é um padrão frequente entre os jovens. Isso está diretamente relacionado a problemas como violência, acidentes de trânsito e sexo inseguro.

A vontade de experimentar novos desafios e viver perigosamente, misturada ao álcool, envolve sérios riscos. De acordo com o Ministério da Saúde, entre 30% e 50% das vítimas de acidentes de trânsito no mundo consumiram álcool imediatamente antes de dirigir.

Fonte:http://www.einstein.br/espaco-saude/em-dia-com-a-saude/Paginas/jovens-e-alcool-uma-mistura-perigosa.aspx

O álcool é a substância mais consumida entre os jovens, sendo que a idade de início de uso tem sido cada vez menor, aumentando o risco de dependência futura. O uso de álcool na adolescência está associado a uma série de comportamentos de risco, além de aumentar a chance de envolvimento em acidentes, violência sexual e participação em gangues. O uso de álcool por adolescentes está fortemente associado à morte violenta, queda no desempenho escolar, dificuldades de aprendizado, prejuízo no desenvolvimento e estruturação das habilidades cognitivo-comportamentais e emocionais do jovem. O consumo de álcool causa modificações neuroquímicas, com prejuízos na memória, aprendizado e controle dos impulsos.  

Reportagem da rede record sobre o álcool

 Se quiser saber mais sobre a dependência do alcool segue um link.
Veja o relato do jogador Sócrates que teve seus sonhos interompidos devido ao álcool.



0 comentários: